Abordagens naturopatas parágrafo a Prevenção …

Abordagens naturopatas parágrafo a Prevenção …

Abordagens naturopatas parágrafo a Prevenção ...

Abordagens naturopatas parágrafo a Prevenção e Tratamento da osteoporose

A E osteoporose hum Importante Problema de Saúde Pública that afeta Mais de 10 Milhões de Americanos. ELE geralmente E diagnosticada Mais tarde na vida, mas o momento Mais Importante Para se concentrar em Construir Ossos Saudáveis ​​E de Durante Primeiros OS 3 Décadas de vida.

Por Ellen Kamhi, PhD, RN

Sobre o autor

Ellen Kamhi, PhD, RN. envolvido foi em desde Medicina Natural 1973. Dr. Kamhi participaram Rutgers e Cornell Universidades, Sentou-se no Painel de Medicina Tradicional no Columbia Presbyterian Medical School, e e Um instrutor clínico, em Stony Brook Medical School, E em NY Chiropractic College, Onde Ela Ensina Botânico Farmacologia. Uma Autoridade respeitada no campo da cura natural, Dr. Kamhi e Um Membro Profissional da América Herbalist Guild (AHG) e e nacionalmente placa certificada Como Enfermeira holística (a-HNC). Ela e o autor UO co-autor de MUITOS Livros, incluíndo Ciclos da Vida, Ervas Para as Mulheres, e A Medicina Natural Chest. Para MAIS INFORMAÇÕES visite www.naturalnurse.com.

Abstrato

A E osteoporose hum Importante Problema de Saúde Pública that afeta Mais de 10 Milhões de Americanos. ELE geralmente E diagnosticada Mais tarde na vida, mas o momento Mais Importante Para se concentrar em Construir Ossos Saudáveis ​​E de Durante Primeiros OS 3 Décadas de vida. Fornecendo Nutrientes-Construção ósseo Suficiente, juntamente com o peso rolamento Exercício, PODE Ser um Proteção Melhor contra a Doença.

Agentes Farmacêuticos PODE Ser Eficaz sem Tratamento da osteoporose, mas Não Há hum aumento do Interesse na Prevenção e NÃO farmacológico Para o Tratamento da Condição.

Fundo

O termo osteoporose descreve Uma Condição há DOS interior dos Ossos em that Grandes áreas porosas desenvolvem, o enfraquecimento da Estrutura óssea. O osso e Um Tecido vivo that mantém hum Equilíbrio atraves da Actividade de Construção de osso dos osteoblastos, com uma Actividade de reabsorção dos osteoclastos. QUANDO Fatores Como o Avanço da Idade causar Uma Mudança Nesta Balança Para uma reabsorção, a massa óssea Diminui. DEPOIS de atingir hum Limiar de fratura, o osso Que normalmente era Capaz de Resistir um menor Uma Tensão, Como Uma Queda OU golpe, FICA Sujeito a quebrar OU fratura Mais fácilmente. A osteoporose e Mais frequentemente diagnosticada nsa ano seniores. No entanto, o momento Mais Importante Para se concentrar em Construir Ossos Saudáveis ​​E de Durante Primeiros OS 3 Décadas de vida. Fornecendo Nutrientes-Construção ósseo Suficiente, juntamente com o peso rolamento Exercício, PODE Ser um Proteção Melhor contra a Doença. 3

Vários Fatores de risco aumentam a Probabilidade de desenvolver osteoporose: História familiar e sexo (as Mulheres São 6 a 8 vezes Maïs probabilidades fazer Homens Que OS), Sendo pós-menopausa, a Avançada Idade, Raça (caucasianos São Os Mais prováveis), baixa ingestão de calcio, Tabagismo, consumo de Álcool, um estilo de vida sedentário, 4 e consumo de Refrigerantes. 5,6

drogas terapéuticas parágrafo a osteoporose incluem bisfosfonatos, Tais Como Alendronato e risedronato. Estes Medicamentos estao Associados a Uma Crescente Lista de preocupações, incluíndo Pesquisas that sugerem Uma Ligação Entre o Uso de bifosfonatos e Câncer de esôfago. 8 Uma vez POR Mês tablet, ibandronato de sodio, Afirma Que a Vantagem de Uma Maior Conveniência, mas AINDA TEM Uma série de Possíveis Efeitos adversos, Como irritação do esôfago, azia e úlceras. Além Disso, Não se recomenda Que as Mulheres com hipocalcemia Tomar Estes fármacos.

terapia de Substituição hormonal, Que foi previamente apresentado Como hum Tratamento Para a osteoporose, e PODE, de facto, ser Muito Úteis Para Diminuir a Perda óssea. No entanto, ESTA Vantagem Diminui se a terapia hormonal E descontinuada. Além Disso, MUITAS Mulheres se recusam a terapia hormonal devido a Outros Efeitos adversos conhecidos UO percebidos. 9,10 Apesar de Agentes Farmacêuticos PODE Ser Eficaz, há hum aumento do Interesse na Prevenção e Tratamento da osteoporose NÃO farmacológica. 11

Varias intervenções Naturais PROMOVER o aumento da Saúde óssea. Estes incluem o consumo Suficiente de Nutrientes osso de Suporte POR Meio de Uma Alimentação Saudável e Suplementos nutricionais, incluíndo calcio, magnésio, vitamina D, boro, estroncio, isoflavonas de soja e Suplementos de vitamina K. Novel Tais Como Proteínas morfogénicas fazer estao osso also soluçar Investigação. 12 Além Disso, o Exercício auxilia no fortalecimento de Ossos.

A importancia do Exercício

A Combinação destes 3 Fatores Determina o quão Útil hum Determinado regime de Exercício e em Ajudar Densidade de aumento do osso. No entanto, Não Há consensus Sobre a Exata Combinação destes Factores Que É Mais provável parágrafo Maximizar a Actividade osteogénica. 16 Para a maioria dos individuos, Praticando Exercício de peso 3 vezes POR semana de Durante 12 a 20 Minutos E Suficiente parágrafo Aumentar a Densidade óssea. Uma vez that each Conjunto IRA resposta à carga de Tensão individualmente, O SEU MELHOR Pará rodar Exercício EM sites de e concentrar-se em Cada hum Deles Por Um Período de ritmo limitado. Continuando a Exercer Ao Longo da Vida Ajuda a Recolher uma Perda óssea EO Risco de quedas. 17

Intervenções eficazes dietéticas

A Melhor Abordagem Para Obter Nutrientes suficientes Para Construir e Manter Ossos fortes e Fazer consistentemente Escolhas Alimentares Saudáveis. Enquanto discutimos Cada nutriente Abaixo, Fontes de Alimentos Sera incluida, juntamente com Sugestões Para Uma Possível suplementação, Que É Secundária à ingestão de todo o alimento.

Cálcio

magnésio

O magnésio E o Segundo mineral Mais Comum não Corpo, DEPOIS de Cálcio. O magnésio E Importante parágrafo MUITOS Processos metabólicos, incluíndo a Construção de osso, Formação de trifosfato de adenosina, e Absorção de Cálcio. Fontes Alimentares de magnesio incluem Nozes, Grãos Integrais, Vegetais Verdes Escuros, peixe, legumes e Carne. O magnésio E MUITAS vezes deficiente na dieta americana normal, devido Ao Baixo consumo de Alimentos Que contenham Esse nutriente, Bem Como o esgotamento do solo a Partir de Práticas Agrícolas Comerciais, overcropping Como. 32 níveis Baixos de magnésio sem sangue se correlaciona com baixa Densidade óssea, 33 e Vários Estudos TEM apoiado o Uso de suplementação de magnésio Ao orais Aumentar a Densidade óssea. MESMO Uma Deficiência de magnésio Moderada 34,35,36,37 dez Sido documentada de para causar uma Perda óssea EM ratos. 38 A Deficiência de magnésio PODE prejudicar a Produção do Hormônio da paratireóide e 1,25-di-hidroxivitamina D, O Que afeta negativamente a mineralização óssea. 39 Completando com 250-400 mg por día de magnésio E geralmente Recomendado. glicinato de magnésio e gluconato de magnésio São preferíveis PARA O óxido de magnésio e São Menos susceptíveis de causar fezes Soltas. Efeitos adversos OS fazer magnésio geralmente ocorrem NAS doses Mais Elevadas e São Mais frequentemente Associados com magnésio intravenosa. Como interacções medicamentosas incluem Fraqueza neuromuscular e eventual Paralisia, Quando combinado com OS Antibióticos aminoglicosídicos, diminuição da Absorção de biphosphates, Antibióticos tetraciclina, e Os Bloqueadores dos Canais de Cálcio. Por Lado Outro, MUITAS drogas causam hipomagnesemia, incluíndo aldesleucina, aminoglicosídeos, e anfotericina-B (Comum). 40 suplementação de magnésio Ajuda a Equilibrar Uma série de Problemas de Saúde, Além de osteoporose, Tais Como insônia, dores de Cabeça, constipação chronic, síndrome das Pernas inquietas, Ansiedade e irritabilidade. MUITAS vezes, E O Primeiro suplemento recomendamos em Nossa Prática Clínica, apos uma base de Todo-Alimentos Implementação de Uma dieta.

Vitamina D

A vitamina D E essencial Para a Formação e Manutenção de Tecido ósseo, devido Ao Seu Envolvimento em varios Complexos MECANISMOS, incluíndo a Regulação da Absorção de Cálcio e fósforo. Se OS níveis de Vitamina D Baixos São Paulo, Hormônio da paratireóide (PTH) aumenta e aciona osteoclastos parágrafo Liberar Cálcio sem sangue ATRAVES readsorption óssea. Se este Processo continua Ao Longo do Tempo, Ela enfraquece óssea e lev à osteoporose. Além Disso, a D Estimula vitamina como Células do epitélio intestinal, parágrafo sintetizar como Proteínas de Ligação Ao Cálcio Que suportam um Absorção de Cálcio no sangue. 41

A vitamina D E sintetizada when a luz atinge solar, um Pelé e Transforma 7 dehydrocholesterol em vitamina D3 (colecalciferol). D3 E transportado PARA O Fígado Onde ELE E convertido em 25-hidroxicolecalciferol, o qua E ENTÃO transformado em 1,25-di-hidroxicolecalciferol (calcitriol). O calcitriol E 10 vezes Mais potente fazer that a vitamina D3. cofactores magnésio e boro ato Como nd Presente reacção. Alimentos Fontes de vitamina D incluem Peixes e Óleos de peixe. A Deficiência de vitamina D E ágora Reconhecida Como Uma epidemia Nos Estados Unidos 42 ê ê especialmente Comum em PESSOAS de Pele Escura, Idosos OS, como PESSOAS Que Vivem EM áreas do Norte, e QUALQUÉR pessoa Que tenha Exposição limitada solar. A Deficiência PODE CRIAR hiperparatiroidismo secundário, Levando a Uma Perda de matriz de colagénio e sais minerais, Que aumenta o Risco de osteoporose e fracturas. remodelação óssea fraca devido a Uma Maior Actividade dos osteoclastos vs osteoblastos PODE ocorrer com níveis Baixos de vitamina D, Redução da Síntese de calcitriol Nos rins, OU Uma falta de Receptores de calcitriol em Órgãos Alvo. 43

A vitamina D ESTÁ available Como hum suplemento em varias Formas. A vitamina D3 (colecalciferol), vitamina D2 (ergocalciferol), e alfacalcidol São 3 Formas Comuns. Estudos Tem demonstrado that alfacalcidol PREVINE a osteoporose em Mulheres de doses Elevadas de corticosteróides 44 e aumenta a Força muscular ea Uma Curta distância em Idosos. 45 Um Estudo that comparou OS Resultados usando o alfacalcidol com vitamina D2 em Mulheres idosas com Fraturas vertebrais mostrou that alfacalcidol TEM UM Efeito Maior fazer that D2 estimular a Absorção de Cálcio ‘Ossos. 46 A vitamina D3 e Mais Eficaz fazer that a vitamina D2 e ​​E UMA ESCOLHA Melhor suplemento Para uma maioria dos individuos. 47 de Uma Exceção vegans seria, Que preferem NÃO USAR Produtos Derivados de animais, Uma Vez material de O Que de partida parágrafo D3 E peixe OU lanolina. Mecanismos de Ação do papel da vitamina D na Construção de Ossos Saudáveis ​​inclui o aumento do Número e da Atividade dos osteoblastos, 48 ​​reduzindo a Atividade dos osteoclastos, 49 e normalizar o volume de de Negócios óssea em osteoporose. 50

A vitamina D Parece Ser Mais Eficaz Como terapia Para a osteoporose when combinado com Cálcio. 51 Enquanto 400 IUs de vitamina D oral (colecalciferol) E o uso atual da dose diaria recomendada (RDA), este nivel de suplementação Parece Ser Insuficiente para Prevenir Fraturas; enquanto 700-800 UI / dia Parece Recolher o Risco de Quadril e quaisquer Fraturas NÃO vertebrais em Ambos OS Idosos institucionalizados e ambulatoriais. 52 A vitamina D e Bem tolerada em doses de 400-800 UI / dia. Os Estudos Atuais estao se movendo PARA O aumento da RDA de vitamina D, e MUITOS Profissionais de Saúde Já estao recomendando doses MUITO MAIS altas. Os Países Escandinavos estao considerando Maneiras de Aumentar OS níveis de vitamina D, tanto atraves de suplementação EO USO de Luzes UV. 53 A vitamina D TEM Uma baixa Incidência de Efeitos adversos, embora a Intoxicação PODE resultar se doses Mais Elevadas São Usadas a Longo Prazo. Os síntomas Fraqueza incluem, náuseas, vômitos e falta de apetite. A Toxicidade PODE Ser visto when o soro de 25 (OH) D e A Concentração consistentemente gt; 200 ng / mL (gt; 500 nmol / L). 54 Mais problemático São drogas Que destroem a vitamina D, incluíndo carbamazepina, 55 colestiramina e colestipol. 56

Boro

estroncio

O estroncio mineral e Um agente potente sem Tratamento e Prevenção da osteoporose. Estroncio E UMA Ocorrência Presente mineral natural na Água e comida. Pequenas quantidades de estroncio São encontrados nenhum humano esqueleto, em Que É adsorvido na superficie do Cristal da Matriz de Ossos. O Estudo Intervenção Terapêutica Spinal A Osteoporose e Um duplo-cego, randomizado, Controlado POR placebo that comparou 2 Grupos de Mulheres na pós-menopausa Que Já tinham hum diagnóstico de osteoporose. Um grupo recebeu 2 gramas por día fazer ranelato de estroncio NÃO radioactivo, enquanto Outro grupo recebeu hum placebo. O grupo de estroncio ilustrada Uma significativa Redução (41%) faz risco Relativo de Uma nova fractura vertebral. 66 Outros Estudos promissores mostrou Redução dos Riscos de Fraturas Não-vertebrais, incluíndo Fraturas de Quadril, apos o Uso de estroncio. 67 Além de Recolher o Risco de fratura, o ranelato de estroncio aumento da Densidade óssea mineral Ao Longo do Estudo, atingindo hum Máximo de 3 anos, com pontuação Aumentada de 8,2% no colo do fémur e de 9,8% no Quadril . Pesquisadores Farmacêuticos Japoneses Comércio nomeado S Sal de estroncio Protelos ™ E estao EM FASE 2 Ensaios Clínicos. Acredita-se Que o Mecanismo do Efeito de fortalecimento dos Ossos de estroncio Ser diminuição da reabsorção óssea e Formação de osso Aumentada, O Que aumenta a massa óssea, de micro-arquitectura, e forca. 68

isoflavonas

Investigação APOIA OS Efeitos Positivos das isoflavonas de soja na Redução do Risco de desenvolver osteoporose. 72 No que dietas ricas em soja PODE Diminuir a reabsorção óssea EM Mulheres na pós-menopausa. 73 Embora ipriflavona, Uma flavona semi-sintético comparável à genisteína e daidzeína encontrados em Alimentos de soja, ineficaz foi em restaurar um Densidade óssea EM ratos, E modulada de IGF-I (fator de Crescimento semelhante à insulina I), 74 Que É ligada um óssea mineral Densidade, e aumento da remodelação óssea atraves de Vários MECANISMOS. 75 Profissionais de Saúde holísticos estao medindo IGF-I (somatomedina C) como hum dos Parâmetros Para avaliar o Envelhecimento los Geral. Em testículos em Humanos, ipriflavone em doses de 200 mg por día produziram Resultados Positivos Sobre a massa óssea em Mulheres idosas com osteoporose 76 e Parece Ser particularmente benefico when combinado com Cálcio. 77 consumo de soja Moderado (2-4 Onças por día) E provável Uma Medida Razoável e prudente, devido à Validação Científica dos SEUS EFEITOS Positivos, combinada com Uma baixa Incidência de Reações adversas. Soja reacções PODE causar alérgicas em Alguns individuos e PODE inibir a Síntese de Hormônio da tireóide. 78 de soja fermentado E Menos susceptível de provocar Estes Efeitos adversos.

A vitamina K

Proteínas Ósseas morfogênicas

Conclusão

Profissionais de Saúde PODE Ser hum instrumento para Educar patients SEUS Sobre o Fato de Que, com Escolhas Alimentares e estilo de vida inteligentes, a osteoporose E em grande parte evitáveis ​​parágrafo a maioria das Pessoas.

Referências

1 Sawka AM, Thabane L, Papaioannou A, et al. Saúde Relacionados com Qualidade de medições de vida em canadenses idosas com osteoporose em Comparação com OUTRAS condições Médicas crônicas: um Estudo de Base populacional do Canadian Multicentre Osteoporosis Study (CaMos). Osteoporos Int. 2005; 16 (12): 1836-1840.

3 Davies JH, Evans BA, Gregory JW. Aquisição de massa óssea em Crianças Saudáveis. Arch Dis Child. 2005; 90 (4): 373-378.

5 Wyshak G, Frisch RE. Como Bebidas carbonatadas, o Cálcio da dieta, a Relação Cálcio / fósforo na dieta, e Fraturas ósseas em meninas e Meninos. J Adolesc Saúde. 1994; 15 (3): 210-215.

9 Schonberg MA, Davis RB, Wee CC. Apos as Mulheres’Saúde Iniciativa s: Tomada de decisões e Confiança das Mulheres Que tomam a terapia hormonal. Problemas de Saúde da Mulher. 2005; 15 (4): 187-195.

10 Selby P. osteoporose pós-menopausa. Curr Osteoporos Rep. 2004; 2 (3): 101-106.

11 Ishikawa-Takata K, Ohta T. Prevenção farmacológica e nao de Tratamento Para a osteoporose. Clin Cálcio. 2005; 15 (9): 1463-1466.

12 Borer KT. A física Atividade na Prevenção e Melhoria da osteoporose em Mulheres: Interação de Fatores Mecânicos, hormonais e dietéticos. Sports Med. 2005; 35 (9): 779-830.

13 Warden SJ, Fuchs RK, Turner CH. Passos Para uma segmentação de Exercício PARA O esqueleto parágrafo Aumentar a Força dos Ossos. Eura Medicophys. 2004; 40 (3): 223-232.

16 Foldhazy Z, Arndt A, Milgrom C, Finestone A, induzida cabelo Exercício Ekenman I. taxa de deformação e Tensão na extremidade distal do rádio. J Bone Joint Surg Br. 2005; 87 (2): 261-266.

17 Sawka AM, Thabane L, Papaioannou A, et al. Saúde Relacionados com Qualidade de medições de vida em canadenses idosas com osteoporose em Comparação com OUTRAS condições Médicas crônicas: um Estudo de Base populacional do Canadian Multicentre Osteoporosis Study (CaMos). Osteoporos Int. 2005; 16 (12): 1,836-1,840.

18 Heaney RP, Weaver CM. um Absorção de Cálcio A Partir de couve. Am J Clin Nutr. 1990; 51: 656-657.

19 Enattah N, Pekkarinen t, Valimaki MJ, et ai. Genéticamente Definido Pelo tipo adulto hipolactasia e intolerância à lactose auto-relatados Como Fatores de risco da osteoporose em Mulheres pós-menopáusicas finlandeses. Eur J Clin Nutr. 2005; 59 (10): 1105-1111.

20 Di Daniele N, Carbonelli MG, Candeloro N, et al. Efeito da suplementação de Cálcio e vitamina D na Densidade mineral óssea e o Teor mineral do Osso em Mulheres peri e pós-menopausa; hum duplo-cego, randomizado, Controlado. Pharmacol Res. 2004; 50 (6): 637-641.

21 Shea B, Wells GA, Cranney A, et al. A suplementação de Cálcio Sobre a Perda óssea em Mulheres na pós-menopausa. Cochrane Database of Systematic Reviews. 2004; 1: CD004526.

23 Comité Permanente da Avaliação Científica das Dietary Reference Intakes, Food and Nutrition Board, Institute of Medicine. Recomendação de ingestão dietética de calcio, fósforo, magnésio, vitamina D e flúor. Washington DC: National Academy Press; De 1997.

24 RP Heaney, Rafferty K, Dowell MS, et ai. Sistemas de fortificação de Cálcio diferem na biodisponibilidade. J Am Diet Assoc. 2005; 105 (5): 807-809.

25 Hanzlik RP, Fowler SC, Fisher DH. A biodisponibilidade Relativa de Calcio a Partir de formiato de calcio, citrato de calcio, e carbonato de Cálcio. J Pharmacol Exp Ther. 2005; 313 (3): 1.217-1.222.

28 Peters ML, Leonard M, Licata AA. Papel de Alendronato e risedronato na Prevenção e Tratamento da osteoporose. Cleve Clin J Med. 2001; 68 (11): 945-951.

29 Schneyer CR. carbonato de Cálcio e Redução da eficacia de levotiroxina. JAMA. 1998; 279: 750.

31 Friedman, PA, Bushinsky, DA. Efeitos diuréticos nenhum metabolismo do Cálcio. Semin Nephrol. 1999; 19 (6): 551-556.

32 Walsh, T, O’Donohoe, T. Deficiência de magnésio em algumas plantas de cultura em relaçao Ao Nível da Alimentação de Potássio. J Agric Sci. 1945; 35: 254-263.

Saito 33 N, N Tabata, Saito S, et al. Densidade óssea mineral, albumina do soro e magnésio no soro. J Am Coll Nutr. 2004; 23 (6): 701S-703S.

34 Sojka, JE, Weaver, CM. A suplementação de magnésio e osteoporose. Rev Nutr. 1995; 53 (3): 71-74.

35 Stendig-Lindberg G, Tepper R, uma Densidade óssea Leichter I. trabecular em hum Estudo Controlado Dois ano de magnésio POR via oral, sem Tratamento da osteoporose. Magnes Res. 1993; 6 (2): 155-163.

36 Dimai HP, Porta S, Wirnsberger L, et ai. Suplementação de magnésio diaria orais suprime uma óssea remodelação em Jovens Adultos do sexo masculino. J Clin Endocrinol Metab. 1998; 83 (8): 2742-2748.

37 Carpenter t, DeLucia MC, Zhang JH, et al. Um Estudo Controlado randomizado de Efeitos da suplementação de óxido de magnésio na dieta Sobre o Conteúdo mineral ósseo EM Meninas Saudáveis. J Clin Endocrinol Metab. 2006; 91 (12): 4.866-4.872.

38 rudes RK, Gruber HE, Norton HJ, et al. Redução de magnésio na dieta de 25% de Necessidades de Nutrientes perturba o metabolismo ósseo e mineral nenhum rato. Osso. 2005; 37 (2): 211-219.

39 rudes RK, Gruber HE. A Deficiência de magnésio e osteoporose: animal e OBSERVAÇÕES Humanos. J Nutr Biochem. 2004; 15 (12): 710-716.

40 Sabra, R, Ramo, RA. Uma nefrotoxicidade anfotericina B. drogas Saf. 1990; 5: 94-108.

41 Wasserman, RH, Brindak, ME, Mayer, SA, Fullmer, CS. Evidencia Pará Múltiplos Efeitos da Vitamina D3 Sobre a Absorção de Cálcio: RESPOSTA de pintos raquíticos, com OU sem vitamina D3 parcial repleção, a D3 1,25-dihidroxivitamina. Proc Natl Acad Sci EUA. 1982; 79 (24): 7,939-7943.

42 Holick, MF. A epidemia de vitamina D e como SUAS consequencias parágrafo à Saúde. J Nutr. 2005; 135 (11): 2739S-2748S.

43 Schacht E, Richy F, Reginster JY. Os Efeitos terapeuticos da alfacalcidol na Resistência óssea, metabolismo muscular e Prevenção de quedas e Fraturas. J Musculoskelet Neuronal Interact. 2005; 5 (3): 273-284.

45 Schacht E, Richy F, Reginster JY. Os Efeitos terapeuticos da alfacalcidol na Resistência óssea, metabolismo muscular e Prevenção de quedas e Fraturas. J Musculoskelet Neuronal Interact. 2005; 5 (3): 273-284.

47 Armas LA, Hollis BW, Heaney RP. A vitamina D2 E MUITO Menos Eficaz fazer that uma vitamina D3 nsa Humanos. J Clin Endocrinol Metab. 2004; 89 (11) 5387-5391.

50 Passeri G, L Pini, Troiano L, et ai. Baixo nivel de vitamina D, um Elevada remodelação óssea, e Fraturas ósseas EM Centenários. J Clin Endocrinol Metab. 2003; 88 (11): 5.109-5.115.

52 Bischoff-Ferrari HA, Willett WC, Wong JB, et al. Prevenção da fratura com a suplementação de vitamina D: Uma meta-Análise de Ensaios Clínicos randomizados. JAMA. 2005; 293 (18): 2.257-2.264.

55 Collins N, Maher J, Cole M, et al. Um Estudo prospectivo, parágrafo avaliar uma dose de vitamina D Necessário Para Corrigir OS níveis de 25-hidroxivitamina D, Baixas Calcio, e fosfatase alcalina em Pacientes em Risco de desenvolver osteomalacia induzida POR fármaco anti-epiléptico. Q J Med. 1991; 78 (286): 113-122.

56 Tonstad S, Silversten M, Aksnes L, Ose L. Baixa dose de de colestipol em adolescentes com hipercolesterolemia familiar. Arch Dis Child. 1996; 74 (2): 157-160.

57 Nielsen FH, Hunt CD, Mullen LM, et al. Efeito do boro na dieta Sobre o mineral, o estrogênio, EO metabolismo da testosterona em Mulheres na pós-menopausa. FASEB J.. 1987; 1 (5): 394-397.

58 Jessell TM, Kandel ER. A sináptica Transmissão: Uma forma bi-direccional e auto-modificável da Comunicação célula-célula. célula. 1993; 72 Supl: 1-30.

59 Barr RD, Barton SA, Schull WJ. níveis de boro não homem: Evidências Preliminares de Regulação Genética e algumas implicações Para a biologia humana. Med Hipóteses. 1996; 46 (3): 286-289.

60 Miljkovic N, Miljkovic D, McCarty MF. Up-Regulação Impacto do Boro Sobre a Função da vitamina D—reflecte uma inibição da 24-hidroxilase? Med Hipóteses. 2004; 63 (6): 1054-1056.

61 Endo Y, Yamamoto K, Kagechika H. utilitario de aglomerados de boro parágrafo A Concepção de Medicamentos. Relação Entre a Afinidade de Ligação do receptor de estrogênio e hidrofobia de fenóis Que carregam Vários Tipos de grupos carboranyl. Bioorg Med Chem Lett. 2003; 13 (22): 4089-4092.

62 Cigler, P, Kozisek, H, Rezacova, P, et al. De NÃO peptidicos parágrafo Inibidores de protease: noncarbon Metallacarboranes Como Inibidores Específicos e potentes da protease do HIV. Proc Natl Acad Sci U S A. 2005; 102 (43): 15,394-15,399.

65 Nielsen FH, Hunt CD, Mullen LM, Hunt JR. Efeito do boro na dieta Sobre o mineral, o estrogênio, EO metabolismo da testosterona em Mulheres na pós-menopausa. FASEB J.. 1987; 1 (5): 394-397.

66 Reginister JY, Sarlet N, Lejeune E, et al. O ranelato de estroncio: Um Novo Tratamento Para a osteoporose pós-menopausa com hum MoDo dupla de Ação. Curr Osteoporos Rep. 2005; 3 (1): 30-34.

67 Reginister JY, Seeman E, DeVernejoul MC, et ai. O ranelato de estroncio reduz o Risco de Fraturas NÃO vertebrais em Mulheres pós-menopáusicas com osteoporose: Tratamento de Peripheral Osteoporose Estudo (TROPOS). J Clin Endocrinol Metab. 2005; 90 (5): 2816-2822.

70 Grynpas MD, Marie PJ. Efeitos de estroncio em Qualidade e Quantidade óssea EM ratos. Osso. 1990; 11: 313-319.

71 Schrooten I, Cabrera W, Goodman WG, et al. Estroncio causa osteomalacia na insuficiencia renal crónica EM ratos. kidney Int. 1998; 54 (2): 448-456.

72 Uenishi K. soja Recomendado e ingestão de Produtos de soja parágrafo Evitar fratura óssea e osteoporose. Clin Cálcio. 2005; 15 (8): 1393-1398.

73 LS Harkness, Fiedler K, Sehgal AR, et al. reabsorção óssea diminuiu com Uma suplementação de isoflavonas de soja EM MULHERES pós-menopáusicas. Saúde das Mulheres J (Larchmt). 2004; 13 (9): 1000-1007.

74 Deyhim M, Smith BJ, Soung DY, et ai. Ipriflavona modula IGF-I, o MAS NAO E Capaz de restaurar O Osso EM ratos. Phytother Res. 2005; 19 (2): 116-120.

75 Niu T, Rosen CJ. O gene da insulina-like growth factor-I e osteoporose: Uma Avaliação Crítica. Gene. 2005; 361-56.

76 Passeri H, H Biondi, Costi D, et al. Efeito de ipriflavona Sobre a massa óssea em Mulheres com osteoporose Idosos. osso Miner. 1992: 19 (Suppl 1): S57-S62.

77 Gennari C, D Agnusdei, Crepaldi L, et ai. Efeito de ipriflavona—hum Derivado sintético de isoflavonas Naturais—Sobre a Perda de massa óssea nsa Primeiros ano apos a menopausa. menopausa. 1998; 5 (1): 9-15.

78 Persky VW, Turyk ME, Wang L, et al. Efeito da proteína de soja de Hormônios endógenos em Mulheres pós-menopáusicas. J Clin Nutr. 2002; 75: 145-153.

79 Brody T. Nutritional Biochemistry. Número da edição 2. San Diego, CA: Academic Press; De 1999.

83 Tamatani H, Morimoto S, Nakajima M, et al. Diminuição dos níveis de vitamina K e 25-hidroxivitamina D Que circula em Homens Idosos osteopénicas. metabolismo. 1998; 47 (2): 195–199.

84 JP Hart, Catterall A, Dodds RA, et ai. Os níveis circulantes de vitamina K1 não Pescoço fraturado fazer fêmur. Lanceta. 1984; 2 (8397): 283.

85 Um Hoffmann, G. Gross BMP vias de Sinalização na cartilagem e Formação óssea. Crit Rev Eukaryot Gene Expr. 2001; 11 (1-3): 23-45.

86 Heldin, CH, Miyazono, K, dez Dijke, sinalizando a Partir da membrana celular Ao núcleo atraves de Proteínas SMAD P. TGF-beta. Natureza. 1997; 390 (6659): 465-471.

89 Grimsrud CD, Romano PR, D’Souza M, et al. BMP-6 e Um estimulador autócrino de diferenciação de condrócitos. J Boné Miner Res. 1999; 14 (4): 475-482.

90 Wozney JM. A Família proteína morfogenética óssea e osteogênese. Mol Reprod Dev. 1992; 32 (2): 160-167.

91 Wozney JM, proteína morfogenética Rosen V. Osso e morfogenética óssea Família gene da proteína na Formação óssea e Reparação. Clin Orthop Relat Res. 1998; (346): 26-37.

92 Onishi t, Ishidou Y, Nagamine T, et al. Padrões Distintos e sobrepostos da Localização da proteína morfogenética óssea (BMP) Membros da Família e Um receptor de BMP Tipo II de Durante a Consolidação de Fraturas EM ratos. Osso. 1998; 22 (6): 605-612.

93 Groeneveld EH, EH Burger. ósseas Proteínas morfogenéticas em Regeneração óssea humana. Eur J Endocrinol. 2000; 142 (1): 9-21.

94 Cao X, Chen D. A BMP Sinalização e na Formação do osso in vivo. Gene. 2005; 357 (1): 1-8.

mensagens Relacionados

  • Remédios Naturais Depressão, naturopata …

    Protocolo naturais PARA O Tratamento da Depressão Que inclui ômega-3, magnésio, vitaminas do Complexo B, vitamina D, erva de São João, ginkgo, Same, 5-HTP, e ginseng POR Rena Freedenberg, ND Sobre o autor …

  • Nonoxinol-9 ineficazes NA Prevenção …

    Nonoxynol-9 ineficazes NA Prevenção espermicidas Infecção POR HIV Que Contém nonoxynol-9 NÃO protegem contra a Infecção HIV cabelo e PODE Até Aumentar o Risco de Infecção Pelo HIV em Mulheres Que utilizam Estes …

  • Esperança para Prevenir Menstrual …

    Esperança para Prevenir Menstrual enxaqueca Pesquisa IDENTIFICA Dias vulneráveis, Sugere Opção Para impedir Ataques Este Conteúdo NÃO foi Revisto nenhum ano Passado e PODEM NÃO representar …

  • Novas Abordagens Para um endométriose …

    das Organizações de Pesquisa Os Cientistas descobriram Que a Formação de vasos sanguíneos NAS lesões foi significativamente diminuído. A percentagem de Novos vasos sanguíneos Nós Dois grupos de Tratamento foi …

  • Tratamento naturopata parágrafo a Depressão …

    Há POUCO Sobre ter Câncer Que aquece o Coração UO Que desencadeia alegria. Em Uma Lista de experiencias de vida estressantes OU depressivos, o Câncer ESTÁ Perto do topo. ASSIM NÓS encontramos frequentemente patients com cancro …

  • Naturopata Tratamento Para a Depressão …

    Uma Palavra Para Sentimentos de tristeza, irritabilidade, desesperança, desamparo, Raiva e desânimo E a Depressão. A Depressão Como Uma Condição de Depressão generalizada E UMA Condição generalizada e …